NOMENCLATURA DOS CHASSIS

Inicialmente, todos os modelos da SCANIA, bem como acontecia com sua concorrente VOLVO, eram batizados com uma letra (ou duas) seguida por 2 números (ex: B75):

- letra "B" significa BUSSA (ônibus em sueco);
- 75: modelo do ônibus na ordem cronológica da SCANIA;

Com a chegada da centena, a SCANIA decidiu passar mais informações através do nome do chassis, alterando para o sistema de uma letra (ou duas) seguida por 3 números (ex: B110):

- letra "B" significa chassis de ônibus (seguido por R significava que o motor era traseiro);
- 11: litragem do motor;
- 0: número do modelo;

Na Europa, além da letra "B", a SCANIA também adotou a letra "C" para os monoblocos fabricados pela empresa.

Em alguns casos havia a letra S após os números (ex: BR-115 S) - a letra significava Super, indicando que o motor do chassis era turbinado e não aspirado como os modelos comuns.

Passado alguns anos, a SCANIA resolveu alterar a nomenclatura com a intenção de denotar através do nome do chassis, informações como tipo/posição do motor, litragem e geração (ex: L94 UA LB)

a) primeira letra
L = motor traseiro inclinado a 60 graus (geração 3 e 4);
K = motor traseiro (geração 2, 3 e 4);
F = motor dianteiro (geração 2 e 3);
S = motor dianteiro com eixo avançado (geração 2 e 3);
N = motor traseiro na transversal inclinado à 60 graus para DDs e LDs (geração 3 e 4);
C = monobloco construído pela própria SCANIA (Europa)

b) primeiro número
Litragem do motor, podendo ser 9 (caso do L94, K94, F94), 11 (K114) e 12 (K124)

c) segundo número
Geração do modelo, podendo ser 2 (F112, K112, S112), 3 (L113, K113, F113, S113, N113, CN113) ou 4 (L94, K94, K114, K124, N94)

d) primeira letra do segundo bloco (UA/IA/IB/UB/HA/EB)
U = motor posicionado de forma a ocupar espaço na parte central e nas laterais esquerda/direita;
I = motor posicionado de forma a ocupar apenas o lado esquerdo;
H = motor posicionado na parte central/dianteira;
E = motor especial, top de linha;

e) segunda letra do segundo bloco (UA/IA/IB/UB/HA/EB)
A = articulado;
B = comum;

f) primeira letra do terceiro bloco (LB/NB/NZ/HZ/NA/NI/LI)
LB = entrada baixa;
NB = piso normal
NZ = chassis projetado para receber motorização dianteira e equipar carrocerias urbanas;
HZ = chassis projetado para receber motorização dianteira porém mais sofisticado, com capô de série;
NA = articulado piso normal;
NI = definição incerta (apenas o K124 EB possui essa sigla, nas versões 4x2 e 6x2 de 360 e 420 cavalos);
LI = definição incerta (apenas o K124 EB possui essa sigla, nas versões 6x2 de 360 e 420 cavalos);

Após essa nomenclatura, a SCANIA alterou o formato, utilizando apenas a primeira letra (para especificar o tipo de motor) e a potência do motor. O SCANIA K-124 de 420 cavalos passou à ser o K-420. A versão de 360 cavalos passou à ser o K360. A mudança não foi apenas no nome - os motores também foram alterados. Para completar a família, a SCANIA lançou também os modelos SCANIA K-230, K-270 (simples e 15 metros com terceiro eixo direcional), K-310, K-340 e K-380.

CONCESSIONÁRIAS - A PIONEIRA

A SCANIA já vendia seus caminhões no Brasil antes mesmo de possuir concessionárias no país. Curiosamente, apesar da fábrica da empresa ter sido instalada na região do ABC paulista, a primeira concessionária autorizada da SCANIA no Brasil foi a BRASDIESEL, na cidade de Caxias do Sul. No final de 1956, já era sabido que a SCANIA-VABIS passaria a fabricar no país o famoso caminhão. Em 1957, a notícia se confirmou e a empresa BRASDIESEL S/A Comercial e Importado foi fundada em 9 de setembro de 1957 pelo Sr. Olinto Luiz Biasus, prestando inicialmente assistência técnica aos caminhões importados e vendendo caminhões Studebaker. Em junho de 1960, a BRASDIESEL se tornou a primeira concessionária SCANIA nomeada e reconhecida no Brasil, recebendo em 15 de junho de 1960, os primeiros 3 caminhões fabricados no Brasil. Apesar de inicialmente atuar na região nordeste do Rio Grande do Sul (visto que no Centro e no Oeste as estradas não possuíam condições de tráfego de caminhões pesados), aos poucos a empresa foi conquistando outras cidades, passando à atuar em 209 municípios do estado, abrangendo as regiões Nordeste, Missioneira e Vale do Taquari. Em 1975, a empresa instalou sua primeira filial na cidade de Carazinho, em 1979 surge a segunda filial em Ijui, sendo acompanhada em 1982 pela filial do Vale do Taquari (na cidade de Lajeado) e em 1996, pela filial da cidade de Garibaldi. Empresa que passou da administração familiar para a profissionalizada sem qualquer dano à sua lucratividade e imagem ou litígio entre os herdeiros, é um exemplo de organização, prova de que os alicerces erguidos pelos fundadores Olinto Luiz Biasus e Angelo Zanandréa, há exatamente 50 anos, resiste a qualquer intempérie. Orgulha-se de ser líder no mercado, com uma participação de vendas de 45% na região, valor superior ao índice de 22% alcançado de janeiro a abril de 2007 pela própria Scania em todo o Brasil. A média de venda da Brasdiesel é de um caminhão dia. Além da boa média, mantém números excelentes no Consórcio Scania Brasil, sendo tricampeões de vendas de cotas de consórcio, responsável por 50% do faturamento da empresa.


CONCESSIONÁRIAS - A MAIOR

Considerada a maior concessionária SCANIA na América Latina, a CODEMA possui sede em .Além deste título, a CODEMA é uma das 10 maiores concessionárias do mundo, possui 9 filiais no Estado de São Paulo e uma em Minas Gerais, empregando 250 pessoas e vendendo anualmente média de 700 caminhões novos, 100 ônibus novos e 250 caminhões usados, além da prestação de serviços e vendas de peças.




BR-115 VS BR-116 - POSIÇÃO DO ESCAPAMENTO

Antes do chassis BR-116, os chassis fabricados pela SCANIA (BR-115 Super e os primeiros BR-116) tinham o escapamento do lado direito. A partir do BR-116, todos os chassis passaram a adotar o escapamento do lado esquerdo.
(fonte: Dr Lambros Katsonis)


SCANIA S113:

Apesar de ser bem raro, catálogos de peças e fotos provam que o chassis S113 existiu após 1994. Empresas como EMTRAM, Transbrasiliana, TUT, Expresso São Luiz, Andorinha, Barratur, Colibri e Jóia tiveram o chassis.

Uma forma de identificar o chassis é através do número dele: todo chassis SCANIA S113 CL têm o número do chassis começado por "9BSSC4X2", enquanto os F113 HL tem o chassis começando por "9BSFU4X2", os K113 CL por "9BSKC4X2" e todo K113 TL por "9BSKT6X2".

O chassis foi fabricado até 1998 porém como o empresariado deu preferência ao modelo F113, era fabricado apenas sob encomenda.
(fonte: Hélio Freitas, Adiel Cesar, Sérgio Canuto)